Principais habilidades para 2022: como aplicá-las?

O Ano Novo chegou, mas a crise econômica é velha conhecida nossa; com a pandemia em alta e a recessão técnica se intensificando, o desemprego é o problema da vez, com uma média de 13,5 milhões de brasileiros desempregados, segundo o IBGE.

Nesse sentido, as vagas de emprego estão cada vez mais disputadas, e só ser excelente no que faz não será o suficiente para voltar ao mercado de trabalho ou mesmo trocar de emprego: é preciso apresentar as habilidades cobiçadas pelos empregadores.

Para isso, o Fórum Econômico Mundial realizou uma curadoria das soft skills mais procuradas e nós do Diego Disse te ajudamos a entender como aplicá-las na sua entrevista de emprego.

Quer saber mais? Então continue com a gente!

Pensamento analítico e inovação

No topo da lista do Fórum Econômico Mundial, estas habilidades são cruciais para desenvolver as seguintes e são, portanto, as mais procuradas na hora de decidir contratar alguém.

Os empregadores procuram funcionários com capacidade para investigar um problema e encontrar a solução ideal de maneira oportuna, rápida e eficiente.

Você usa habilidades analíticas ao detectar padrões, fazer brainstorming, observar, interpretar dados, integrar novas informações, teorizar e tomar decisões com base nos múltiplos fatores e opções disponíveis, prezando pela inovação sem esquecer da qualidade.

Ao buscar por tais qualidades, seus contratantes estão, na verdade, em busca de alguém com profundo conhecimento e compreensão daquilo que está sendo executado, uma vez que isso torna suas decisões melhores e diminui os riscos para a empresa.

É possível demonstrar seu pensamento analítico e sua capacidade de inovar sugerindo formas “fora da caixinha” para resolver problemas nas atividades em grupo ou na hora de apontar como você resolveu um problema no seu emprego anterior, por exemplo.

Aprendizagem ativa

Já ouviu o bordão “você aprende fazendo”? É a frase que mais representa a segunda soft skill da lista.

As empresas não estão interessadas em contratar alguém que durante uma palestra só ouve, pois sabem que as informações apresentadas podem fluir por um ouvido e sair pelo outro.

No entanto, quando os candidatos agem como interlocutores dinâmicos e desempenham um papel ativo no que estão fazendo, é mais provável que entendam o que estão aprendendo e processem melhor as informações que lhes são fornecidas.

Por isso que tantas empresas colocam palestras em seus processos seletivos: eles estão separando o joio do trigo e contratando apenas os melhores.

Faça questão de interagir nos momentos oportunos, fazendo perguntas relevantes ou apresentando um ponto de vista alternativo.

Lembre-se: o aprendizado ativo dá a você a chance de aplicar as informações que aprendeu em sua vida em sua carreira profissional, não deixe de utilizá-la.

Solução de problemas complexos

Ter a capacidade de resolver problemas complexos é uma parte importante do sucesso em muitos setores e cargos, uma vez que envolve mais etapas e considerações do que a simples solução de problemas. Dessa forma, a compreensão dessas diferenças tende a ajudá-lo a desenvolver com êxito essa habilidade tão requisitada.

Além de encontrar e implementar uma solução, a resolução de problemas complexos também envolve a consideração de mudanças futuras nas circunstâncias, recursos e capacidades que podem afetar a trajetória do processo e o sucesso da solução.

Ela envolve a consideração do impacto da solução no ambiente circundante e nos indivíduos, o que torna necessário analisar fatores subjetivos, algo que foge do geral a que a maioria das pessoas está acostumada – é isso que torna essa habilidade tão essencial!

Em entrevistas, muito provavelmente você será confrontado com um problema complexo; nesse caso, nada de pânico. Pense nele como um quebra-cabeça e vá desmanchando-o até decifrá-lo.

Pensamento crítico

O pensamento crítico é a capacidade de organizar informações logicamente para fazer um julgamento fundamentado e envolve a avaliação de fontes de dados, fatos e outras pesquisas para fazer uma conclusão razoável, “conectando os pontos” e tomando decisões respaldadas.

As maiores companhias do mundo costumam buscá-la pois essa soft skill aumenta o desempenho dos funcionários, a qualidade do trabalho em geral e enriquece categoricamente as soluções para os problemas.

Se você se encontra preso em sua carreira, muitas vezes, é devido a uma falta de pensamento crítico.

É interessante que você demonstre pensamento crítico no seu processo seletivo porque seu entrevistador estará buscando por isso. Sendo assim, seja honesto na hora de responder alguma pergunta e não deixe de detalhar seu raciocínio – isso fará com que ele veja no que você está se baseando para tomar uma decisão.

Criatividade e originalidade

Através desse combo de habilidades, os empregadores buscam que você possua a capacidade de pensar sobre uma tarefa ou problema de uma maneira nova ou diferente, utilizando a imaginação para gerar novas idéias.

A criatividade permite que você resolva problemas complexos ou encontre maneiras interessantes de abordar as tarefas, vendo as coisas de uma perspectiva única e original para encontrar padrões e fazer conexões para encontrar oportunidades.

Ter pessoas com iniciativa para ser criativo e original é o que fez grandes empresas – como o Nubank, por exemplo – alavancarem e pequenas e médias empresas investirem na contratação de pessoas com essas capacidades. Por isso, vale a pena buscar desenvolvê-las.

Em processos seletivos, essas skills são buscadas geralmente em atividades em grupo, então não tenha medo de ser criativo e original, mas sem minar os colegas.

Flexibilidade

Ter a capacidade de se renovar ou superar obstáculos imprevistos é uma habilidade altamente desejada no mercado de trabalho, mas igualmente difícil de se encontrar.

Isso é especialmente importante em setores de rápida evolução e dinâmicos, onde a capacidade de responder a eventos imprevisíveis e mudanças de expectativas é um ativo valioso para empregadores e funcionários.

Assim, ser flexível também implica em ser resiliente e controlar o estresse, tendo jogo de cintura para lidar com questões interpessoais desgastantes sem perder de vista aquilo que realmente importa.

Essa habilidade é testada pelos contratantes por meio de atividades em grupo, por exemplo, e se destacam aqueles que conseguem concluir o objetivo apesar das discordâncias.

Iniciativa

Palavra-chave de muitas ofertas de emprego, as empresas ultimamente preferem funcionários que sejam autônomos e que possam trabalhar de forma independente com o mínimo de orientação dos supervisores.

Tomar a iniciativa demonstra habilidades valiosas, como capacidade de gerenciar diferentes tarefas sozinho e potencial para trabalhar com uma variedade de pessoas e departamentos diferentes.

Dessa forma, você pode mostrar iniciativa em uma entrevista de emprego de várias maneiras, incluindo contar do seu voluntariado para funções de liderança ou de como fez um bom brainstorming para ajudar a empresa em que trabalhou a melhorar.

Além disso, ao tomar a iniciativa de forma consciente no trabalho, você também pode aumentar seu valor como funcionário e ampliar seu conjunto de habilidades.

Gostou do texto? Quer conversar com a gente sobre? Então não deixe de me contatar nas redes sociais, nem de compartilhar esse texto nas redes sociais para que mais pessoas desenvolvam essas qualidades.