O paradoxo de Stockdale

A origem do paradoxo

No livro de negócios “Good to Great” escrito por Jim C. Collins, o autor escreve sobre uma conversa que ele teve com James Stockdale, um aviador premiado com a Medalha de Honra na Guerra do Vietnã – na qual ele foi um prisioneiro de guerra por sete anos.

 

Stockdale foi torturado mais de vinte vezes por seus captores, e nunca teve muitos motivos para acreditar que sobreviveria ao campo de detenção, um dia chegaria em casa e voltaria a ver sua esposa.

E, no entanto, como Stockdale revelou para Collins, ele nunca perdeu a fé:

 

Eu nunca duvidei não apenas de que iria sair, mas também de que iria prevalecer no final e transformar a experiência no evento decisivo da minha vida, que, em retrospecto, eu não trocaria.

 

Nesse contexto, Collins o pergunta quem foram os que não sobreviveram no Vietnã, Stockdale, por sua vez, responde e gera o paradoxo:

 

Oh, isso é fácil, os otimistas.

Ah, foram eles que disseram: ‘Nós vamos sair no Natal’.

E o Natal chegaria e o Natal iria.

Eles diziam: ‘Vamos sair na Páscoa’.

A Páscoa chegaria e a Páscoa iria.

E depois no Dia de Ação de Graças, e então seria Natal novamente.

Eles morreram de um coração partido.

 

Ele ainda adicionou:

 

Esta é uma lição muito importante. Você nunca deve confundir a fé de que, no final, você prevalecerá – o que você nunca pode perder – com a disciplina para enfrentar os fatos mais brutais da sua realidade atual, sejam eles quais forem.

 

Testemunhando essa filosofia de dualidade, Collins a definiu como o Paradoxo de Stockdale: embora Stockdale tivesse uma fé notável no incognoscível, ele observou que era sempre o mais otimista entre seus companheiros de prisão que não conseguia sair vivo dali.

 

Em qual ocasião o paradoxo de Stockdale é aplicável?

 

O paradoxo é aplicável em diversos desafios diários que enfrentamos.

Quer estejamos passando pela recuperação de um vício ou outro distúrbio, nos divorciando, sofrendo com a perda de um ente querido ou com uma série de outras dificuldades em nossas vidas, “você precisa ter fé de que, no final das contas, prevalecerá. as dificuldades, e ao mesmo tempo, devem enfrentar os fatos mais brutais da sua realidade atual, sejam eles quais forem.”.

 

Eles preferiram a abordagem de avestruz, enfiando a cabeça na areia e esperando que as dificuldades desapareçam.

Essa ilusão pode ter tornado mais fácil para eles a curto prazo, mas quando eles foram forçados a encarar a realidade, tornou-se demais e eles não conseguiram lidar com isso.

 

Stockdale abordou a adversidade com uma mentalidade muito diferente: ele aceitou a realidade de sua situação.

Isto é, os otimistas falham quando se recusam a entregar a realidade da situação como um todo.

 

Stockdale sabia que estava em uma situação infernal, mas, em vez de enterrar a cabeça na areia, ele se posicionou e fez tudo o que pôde para elevar o moral e prolongar a vida de seus companheiros de prisão.

 

O paradoxo no mundo dos negócios

Jim C. Collins e sua equipe observaram uma mentalidade semelhante nas empresas, das menores até as maiores:

 

Você deve manter a fé de que prevalecerá no final, independentemente das dificuldades.

 

E ao mesmo tempo

 

Você deve enfrentar os fatos mais brutais da sua realidade atual, sejam eles quais forem.

 

A Stripe, uma central de pagamentos online que rompeu todo um setor, é uma empresa de $20 bilhões de dólares que incorpora o Paradoxo de Stockdale.

Um ex-gerente de engenharia da Stripe observa que o otimismo tem sido um “valor de nível superior” para a empresa:

 

Quando você está tentando transformar o sistema global de pagamentos com uma equipe de 200 pessoas, a (as coisas estão constantemente pegando fogo eb) existem muitas boas razões para acreditar que você falhará.

O otimismo de Stripe significava não deixar esses pensamentos negativos arrastarem a equipe.

 

O otimismo

 

Otimismo era o equivalente emocional de dinheiro grátis.

Portanto, foi altamente benéfico para o Stripe adotar isso como um valor de nível superior.

 

Mas, como aprendemos, só o otimismo não o levará muito longe.

 

Para incorporar o paradoxo de Stockdale, você também deve enfrentar os fatos brutais da sua realidade. E, para aplicá-lo, no seu negócio é preciso:

  • Tenha fé: nunca duvide de que você pode alcançar seus objetivos de negócios, não importa quão elevados eles sejam e quantos críticos e opositores você possa ter.

E ao mesmo tempo…

  • Seja honesto: sempre faça um balanço honesto da sua situação atual. Não minta para si mesmo por medo de constrangimento ou desconforto a curto prazo, porque esse engano só voltará para morder você.

 

Mas otimismo também pode ser um problema:

 

Não há diferença entre um pessimista que diz: “Oh, é inútil, então não se incomode em fazer nada” e um otimista que diz: “Não se incomode em fazer nada, tudo ficará bem de qualquer maneira”.

De qualquer maneira, nada acontece. – Yvon Chouinard, fundador da Patagonia, Inc.

 

Nossa cultura tem a tendência de condenar o pessimismo, segundo a crença de que atrai energias negativas, o que muitas vezes nos impede de enxergarmos a realidade.

E, dessa forma, enfrentá-la.

A premissa principal do paradoxo é a disciplina e o autocontrole, saber como contornar as situações mais difíceis e complicadas ou pior: aceitá-las.

 

São justamente dessas experiências que surgem os aprendizados mais significativos e a amostra da força que o ser humano tem dentro de si, além do alto potencial adaptativo para suportar elevados níveis de dor.

Junte-se

Cadastre-se em nossa newsletter que já impactou +5000 profissionais que queriam melhorar em sua carreira